quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

A fraqueza da “Prepotência”…

O primeiro problema da “prepotência” é que ela parte de um princípio absolutamente improvável: que o possuidor da prepotência é mais apto, melhor, mais capacitado, mais conhecedor ou qualquer outro “mais” que se puder imaginar.

Um dos postulados mais básicos da filosofia já se diz, quanto mais se sabe, mais sabe-se não saber nada ou, para evitar a repetição, quanto mais conhecimento se adquire, mais você aprende o quanto se tem de aprender.
Assim, o demais na “prepotência” parecem ser nunca o bastante, pois compreender a essência divina nas lições de vida em cada um é uma dura missão promovida pela redentora humildade, pouco utilizada na modernidade.
Portanto, a necessidade de reconhecer nossos erros nesta sociedade pós-moderna é muito ameaçada por aqueles fantasma das eras anteriores onde “errar é ruim” produzindo, então, várias pessoas que “não erram”, ou seja, indivíduos possuidores de “desculpas” para todos os erros.
Enfim, como é raro ouvir de alguém um “eu errei, me desculpe”. Uma lástima não entendermos as…“fraquezas” da prepotência.

Nenhum comentário: